Concorrentes do Brasil na produção de carnes, lácteos e frutas estão dentro do novo acordo.

O acordo comercial anunciado na semana passada entre Estados Unidos e 11 países do Pacífico trouxe apreensão para o setor produtivo brasileiro. A expectativa é que antes mesmo de ser implementada, a parceria já traga prejuízos para o País, com uma possível redução nas exportações e investimentos. No segmento industrial, que exporta 35% dos produtos manufaturados para as nações que integram o tratado, a preocupação é com o desvio do comércio internacional. A expectativa é que a parceria traga prejuízos para o País, com uma possível redução nas exportações e investimentos.

Na agropecuária, o acordo também causou tensão. Concorrentes do Brasil na produção de carnes, lácteos e frutas estão dentro do novo acordo e podem abocanhar uma fatia de mercado atendida pelas empresas nacionais, afirma a Superintendente de Relações Internacionais da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Alinne Oliveira. Para o gerente de economia da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), Daniel Furlan Amaral, o acordo trará prejuízos, mas não significará perda de exportações de soja. Para ele, os Estados Unidos não poderão atender sozinhos todo o mercado.

Fonte: http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,acordo-pode-ter-impacto-imediato-para-a-industria,1777694

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *